Como escrever bem em português hoje

O que é escrever bem o português hoje

Escrever bem o português hoje significa atender uma série de novos requisitos. Um deles é  publicar textos em páginas que terão mais chances de serem vistas.

 

Antes de mais nada, é preciso dizer que este texto nasceu do fato de que “escrever bem o português” é uma das principais buscas realizadas para este site. Entendeu o propósito?

Sendo assim, o que é escrever bem o português? Isso ainda importa? Sim, porque é importante ser bem entendido.

Escrever corretamente, com clareza e simplicidade, faz a comunicação acontecer amplamente. E mais: transmite credibilidade. Com o tempo e a constância é possível obter autoridade junto ao seu público, o que acontece quando há percepção da qualidade do conteúdo.

Escrever bem em português hoje também inclui encontrar o tom adequado para o seu público.  Até aí nada demais; então até que ponto esta noção mudou?

A leitura na tela

A noção do que é escrever bem o português mudou diante de outro complicador. A maior parte do que lemos hoje está na tela do smartphone ou do notebook. Significa que o leitor está quase sempre em situação de pressa e desconforto.

Machado de Assis - escrever bem o português

Machado de Assis não precisou de nada disso. Mas você precisa!

Antes de começar a ler, ele escaneia o texto. Se enxergar um conjunto com harmonia, ótimo.

Neste conjunto de elementos estão o título, o resumo, as imagens, os entretítulos e outros itens em diferentes proporções.

A hierarquia destes elementos na página trabalha para facilitar a compreensão da mensagem.

Sendo assim, escrever bem em português hoje significa atender uma série de novos requisitos.

Capriche nos títulos e resumos

Títulos. Procure fazer títulos descritivos e com a palavra chave. O título deve ser compreendido fora do contexto (em um resultado de busca, por exemplo). Pense em um título que indique o conteúdo que o leitor realmente vai encontrar.

Exemplo: Imagens free: sites com boas imagens para uso gratuito.

Resumos. Capriche na meta descrição, que pode ser o mesmo texto do resumo. O resumo vem em complemento ao título e serve para explicar e complementar. O resumo deve acrescentar algo a quem lê, deve “ensinar” alguma coisa, responder uma dúvida. Pode ser descritivo e também persuasivo e atraente. Procure não passar dos 155 caracteres e não enganar quem busca.

Exemplo: 12 sites de imagens free para ilustrar seu projeto e uma dica para criar um hábito que só nos faz bem.

Textos. Use parágrafos curtos, pois grandes blocos de texto afastam o leitor. Listas estilo bullets funcionam bem na web. Crie conteúdo original e tenha precisão nas informações. Use links para bons conteúdos em sites importantes. Se você já definiu sua persona, pense nela sempre.

Aprenda a criar conteúdo em torno de termos de busca de cauda longa (ex.: técnicas de marketing em mídias sociais) e não em palavras-chave primárias (ex.: mídias sociais). Se possível, pesquise palavras-chave de cauda longa.

Imagens. Vídeo e imagens enriquecem a página. Use quando forem pertinentes. Não escolha uma imagem para enfeitar; ela deve acrescentar e complementar o conteúdo.

O que devemos fazer?

Na prática já sabemos que escrever bem o português vai além das regras da escrita no papel. Significa também publicar seus textos em páginas que terão muito mais chances de serem vistas.

É preciso sempre prestar atenção em um conjunto de detalhes e atender os requisitos SEO, o que normalmente não acontece 100% porque são muitos itens a serem atendidos, itens que você nem sempre controla. Ou seja, além do texto, é preciso formatar a informação (palavra-chave, tags, entretítulos, imagem) para que estes conteúdos sejam amigáveis aos buscadores.

A capacidade de atrair público depende do bom trabalho do redator também ao preencher uma série de informações fora do texto que vão ajudar a página a ser destacada em uma determinada busca feita no Google.

Para escrever dentro do contexto do marketing de conteúdo há outros aspectos a considerar, como a definição da persona – para guiar o redator sobre o que dizer para sensibilizar aquela pessoa que desejamos atender – e o call to action, para que o leitor faça o que você deseja que ele faça.

Ajuda bastante ter à mão uma ferramenta para atender requisitos de SEO. Aqui no Outrolado usamos o Yoast SEO, um plugin para WordPress que facilita no tamanho dos títulos, dos resumos e na escolha da palavra ou frase chave. Há outros semelhantes, mas me acostumei com este.

Quando comecei a usar este plugin, confesso, houve conflito e não foi fácil. Eu brigava com as sugestões e as achava limitadoras, maquinais e bestas. Com o tempo (coloque anos nessa conta) entendi e aceitei que um bom título, além de obrigatoriamente conter a palavra chave, deve resumir em poucas palavras do que se trata o texto. Assim terá muito mais chances de ser encontrado pelo público ao qual ele se destina.  Outrolado_

 

. . .

Leia também:

 

 

Para quem quer ser profissional de UX mas não vem de design

 

O outro lado do avesso

Vicente Tardin é editor, jornalista, gestor de conteúdo e consultor para projetos online. Foi o criador dos sites WebWorld (1997) e Webinsider (2000).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *