Paulo Stein, narrador e comentarista esportivo

Jornalista Paulo Stein, mais uma vítima do Covid-19

Morreu dia 27/03/2021, o jornalista Paulo Stein, uma das presenças importantes na área de esporte, vítima, aos 73 anos, do Covid-19. E nós continuamos a nos perguntar: Até quando?

 

Eu abro o navegador, como de hábito, e leio a notícia da morte do jornalista plurivalente Paulo Stein, mais uma vítima, aos 73 anos, do famigerado e traiçoeiro. Covid-19.

Em sua homenagem, o UOL Esporte, entre outros órgãos da imprensa, publicou um vídeo:

 

 

Paulo Stein era um torcedor tricolor assumido, mas nunca ouvi dele qualquer conotação negativa de outros clubes. Em uma daquelas raras vezes que me comuniquei com ele, via TVE, falei sobre um antigo projeto de “overtraining”, do qual fui um colaborador, e de passagem falei, se não me engano, sobre o nosso clube do coração, o Fluminense.

Os tempos mudaram, eu saí do país, e perdi o contato com os assuntos do esporte. Hoje em dia, eu acompanho futebol de longe, e o faço bem, porque o futebol que eu conheci desapareceu, massacrado pela gana dos empresários e pela vaidade dos atletas. Levar isso a sério se tornou impraticável, por questões de saúde!

É triste saber que, diante, da pandemia, nada de importante acontece para contê-la. Enquanto os políticos e as facções políticas brigam entre si, a pandemia avança sem controle. Não faz tanto tempo assim, que eu comentei neste espaço sobre o avanço da pandemia. Eram 190 mil agora são mais de 300, e essa conta não vai parar!

As críticas de quem tem o espírito observador são altamente relevantes. E hoje mesmo eu acho estampado na Folha, o brilhante texto do genial Jô Soares, que compartilho a seguir:

Jô Soares

Humorista, escritor e influenciador analógico

 Carta aberta ao Ilmo. Sr. presidente Jair BolSSonaro

 ExcelentíSSimo!

 Volto a lhe escrever para comentar sobre a perseguição da imprensa, que continua a criticar suas declarações a respeito dos remédios que, do baixo de seu conhecimento, VoSSa Redundância continua a sugerir. Fazem parte desse kit covid a hidroxicloroquina, a cloroquina, a ivermectina, a azitromicina e a doxiciclina.

 A ciência continua a negar a eficácia desses medicamentos contra a Covid-19.

 A ciência? Ora, a ciência… Que valor tem ela diante da sua imperial ignorância?

 Quero lembrar, também, que os jornalistas se esquecem de reconhecer a eficácia desses remédios em relação a outras doenças.

 Aqui vai uma pequena lista de algumas moléstias que são curadas por esses medicamentos:

 ESPINHELA CAÍDA

MAL DE SETE DIAS

ANDAÇO

COBREIRO

DOR DE RESPONDE AQUI

QUEBRANTO

BUCHO VIRADO

ZIPELA

DOR DE VIADO

GASTURA

MAL DE SIMIOTO

PÉ DESMENTIDO

UMBIGO CAÍDO

CHANHA

MOLEIRA

PANARIÇO

 E centenas de outras aflições. Não falo sem provas. Todas essas curas podem ser comprovadas no site da Titia Sobrinha. Titia Sobrinha pede pra avisar que, durante a pandemia, está benzendo via internet: tiasob.com.”

Às vezes, é preciso rir para não ficar revoltado com o estresse do que está acontecendo.

A vacina já se mostrou ser a melhor solução, mas até em torno disso há uma disputa política idiota, que nada contribui para aliviar o país desse desassossego!

Meus pêsames à família de Paulo Stein. Não o via há muito tempo, mas entendo que o jornalismo esportivo perde a presença de um dos seus mais ilustres colaboradores!  Outrolado_

 

. . .

 

Fluminense Football Club

 

Documentário sobre Pelé e as críticas ao seu envolvimento com a ditadura

 

EL PRE$IDENTE, o futebol visto de outro ângulo

Paulo Roberto Elias é professor e pesquisador em ciências da saúde, Mestre em Ciência (M.Sc.) pelo Departamento de Bioquímica, do Instituto de Química da UFRJ, e Ph.D. em Bioquímica, pela Cardiff University, no Reino Unido.

Um comentário sobre “Jornalista Paulo Stein, mais uma vítima do Covid-19

  1. Enquanto isso no Palácio do Planalto o mandatário da nação influenciado pelos seus herdeiros e fanáticos seguidores brandam pelo uso de medicamentos sem eficácia no combate a Sars-Covid 19. Propagam que essa doença é uma “gripezinha”, fazendo aparições em público, causando tumulto e desestimulando o uso de máscara. Chegamos aos 100 mil, 200 mil, 300 mil… mortes (e subindo). Mas para a nossa sorte a maioria da população que apoiava esse Capitão da reserva, começam agora fazer coro com vaias e panelaços por todo o pais, pedindo a sua saída. Vamos aguardar (sem muita esperança) a decisão do Presidente da Câmara a respeito, caso contrário só poderemos destituí-lo do cargo em 2022 “pelo voto”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *