O marketing digital pode fazer maravilhas pelos pequenos negócios

O marketing digital pode fazer maravilhas pelos pequenos negócios

A história da nutricionista que criou um negócio online, ampliou o seu público e lucrou mais é um ótimo exemplo para você entender este poder.

 

Simone é nutricionista, daquelas muito estudiosas. Além disso, tem facilidade para se comunicar e força de vontade para tornar-se maratonista.

Ela tinha uma conta fechada no Instagram, que usava para postar fotos e acompanhar amigos e familiares.

Com o tempo, Simone achou que também seria interessante publicar lá informações sobre seu método de emagrecimento, que se baseia em uma dieta com baixa ingestão de carboidratos (cortar especialmente farinhas e açúcar) e mudanças no estilo de vida.

Quanto mais fazia posts sobre nutrição, mais recebia likes e indicações. Os posts de Simone eram feitos em vídeo, por ela mesma e em diferentes lugares: em casa, na rua, no escritório, no carro… As falas eram espontâneas, movimentadas e agradáveis. Simone se comunicava bem.

A visibilidade do Instagram trouxe novos pacientes, a ponto de Simone completar a agenda do consultório com muitos meses de antecedência.

Ótimo, excelente… mas faltava ainda alguma coisa.

Simone gostaria de alcançar mais pessoas e transmitir os conhecimentos sobre nutrição que considera muito importantes e pouco entendidos. Mas atuando no consultório teria sempre um número limitado de horas e alcançaria poucas pessoas.

Uma amiga indicou a ela uma agência de marketing digital. Alguma coisa precisava ser feita.

Conversaram e a ideia amadureceu, no sentido de imaginar um produto — um curso online, bem feito, completo e caprichado, de custo acessível e vendas ilimitadas.

Seria a solução para atender a demanda que Simone percebeu existir, através dos muitos pedidos que recebia. Pelo curso online ela poderia atingir um número muito maior de pessoas interessadas em emagrecer de forma saudável e ainda ganhar em cada curso vendido.

A máquina do Inbound Marketing

Ao entender as necessidades e as convicções da Simone, a agência criou um planejamento pelo qual seria desenvolvido um website e também criados conteúdos “ricos” — com vídeos e gráficos para que os clientes entendessem melhor o seu método.

O objetivo destes conteúdos é obter leads — e-mails ou telefones de contato dos interessados nas novidades apresentadas, para a venda ser trabalhada posteriormente.

Com mensagens claras e conteúdos convincentes, o público interessado em fitness, saúde e estética é atraído para o que se chama “funil de vendas”.

Além do website, são criados elementos (peças digitais) dentro de uma estratégia de atração. E-books, por exemplo, servem para captar e-mails de clientes, que passarão a receber informações e ofertas.

Landing pages são páginas de vendas, com informações completas para que o cliente “converta”. Ou seja, que tome a decisão desejada e aja — comprar um curso online, neste caso.

Toda landing page tem o que chamamos de call to action – um botão Compre, em outras palavras. Para que o cliente não tenha dúvidas sobre o que deve fazer. 🙂

Webinars, vídeos, infográficos e cursos gratuitos são outros elementos direcionados para as vendas do curso. E Simone promove estes conteúdos diariamente em suas redes sociais.

O público interessado passa a receber avisos por e-mail ou celular sobre novos posts nos temas de Simone, como jejum intermitente, dieta low carb, diabetes, esteatose hepática, obesidade, dieta cetogênica e importância da atividade física, que foram as principais pautas definidas para posts no blog e redes sociais.

Estes posts também serão vistos pelo público de forma orgânica, ou seja, serão encontrados pelos  interessados através de buscas feitas no Google e demais buscadores por palavras-chave como as citadas acima.

Para que estes posts tenham mais chances de serem vistos e se destacarem dos demais, são usadas técnicas de Search Engine Optimization – SEO (otimização para mecanismos de busca).

Ao atender a diversos critérios de pontuação do Google para cada conteúdo, a agência consegue fazer com que os posts criados fiquem bem posicionados da forma orgânica (naturalmente, sem precisar pagar por isso).

Para obter resultados melhores e mais rápidos é possível impulsionar estes conteúdos mediante pagamento para que  atinjam público segmentado através do Google Ads e do Facebook/Instagram Ads.

Entendendo o funil de vendas

O processo descrito acima (atrair leads e levá-los a um funil que termina na venda) é chamado de inbound marketing.

 

A máquina do Inbound Marketing

 

É um conjunto de estratégias de marketing que visa atrair o cliente pela oferta de conteúdos relevantes e levá-lo a uma ação desejada (converter), com o apoio de mecanismos de busca, blogs e redes sociais.

Os conteúdos criados para o website e redes sociais, os anúncios no Google e os impulsionamentos no Facebook levam a uma página de venda, na qual o leitor que se interessou pelo curso vai receber material para conhecer mais sobre esses temas.

Com o seu curso online, Simone conseguiu alcançar pessoas no Brasil todo e inclusive fora do País. Além da satisfação pessoal e do desejo atendido de chegar a muito mais pessoas, a nutricionista conseguiu, com o apoio da agência, criar um negócio bastante rentável.

Não tem coisa melhor do que fazer um trabalho no qual muitas pessoas serão ajudadas e também conseguir uma boa margem de lucro.

O método

Para chegar a resultados parecidos com o da Simone, é preciso estratégia, planejamento, domínio das principais técnicas de marketing digital e uma produção profissional dos conteúdos que vão levar o cliente até você.

É importante entender que, ao contrário do marketing tradicional, que anuncia um produtos para muitos, no inbound marketing é construído um diálogo com o cliente que já tem interesse no seu produto.

O seu cliente ideal é aquele que deseja comprar o que você vende. Ele é que vai encontrar você, não o contrário.

Hoje as pessoas usam o Google para pesquisar e localizar o que desejam comprar. Portanto, ao produzir informações feitas sob medida para o seu cliente ideal, você será visto por ele, encontrado nas buscas dele.

Na Ocean trabalhamos com o inbound marketing e temos o nosso método baseado nestes passos:

Persona

 

Antes de mais nada são definidas as personas possíveis, que são personagens e representam características e comportamentos do seu cliente.

A persona é a representação fictícia do cliente ideal de um negócio baseada em dados reais sobre comportamento e características demográficas dos clientes.

Também são consideradas suas histórias pessoais, motivações, objetivos, desafios e preocupações.

A persona guia a criação de conteúdo e de marketing digital. É o retrato do cliente do seu negócio, que tem interesse em comprar os seus produtos e serviços. Aquele para quem você é importante.

 

Canais para encontrar os leads

Você precisa estar presente onde seu cliente também está. Então, escolher os canais de atuação é muito importante. Pesquise e anote ideias e sugestões no que for possível e identifique as redes sociais mais interessantes para o seu público.

O ciclo da venda

A partir daqui, tenha em mente que o inbound trabalha com quatro momentos: atrair, converter, relacionar e encantar.

A metologia do inbound marketing

Atrair: nessa fase são criados conteúdos relevantes para o cliente que serão publicados em websites, blogs e redes sociais. É preciso entender as dores dos seus clientes e transformá-las em conteúdos úteis e chamativos para ele.

Ele deve saber que você já vai ajudá-lo a resolver alguns dos seus problemas e logo poderá estar pronto para consumir um produto mais elaborado. As técnicas de SEO são muito relevantes aqui.

Converter: transformar aqueles visitantes do seu site e os seguidores das redes sociais em possíveis clientes é o que acontece nessa etapa do funil.

O lead, como chamamos esse potencial cliente, vai deixar alguns dados pessoais em troca do conteúdo produzido por você.

Os recursos usados nessa etapa normalmente são as landing pages (páginas de venda, para incentivar a conversão), além de livros no formato e-book, pequenos cursos gratuitos e infográficos.

Relacionar: sabemos que uma compra pela internet não acontece exatamente com o impulso que sentimos quando vamos a uma loja e vemos o produto ali na nossa frente, pronto para ser levado.

O comprador agora é muito mais seletivo e gosta de pesquisar a melhor relação custo X benefício. Nesta fase o lead é nutrido de boas informações sobre o seu produto e você deve demonstrar o valor dele. O e-mail marketing é a maior ferramenta utilizada nessa etapa.

Vender: quando o cliente está pronto a venda acontece. Softwares de CRM automatizam estas ações e são de grande importância nessa etapa. Os clientes nesse momento podem ser pontuados e você deve fazer o possível para manter um relacionamento com ele.

A ideia é fidelizar o cliente e fazer com que ele seja um divulgador da sua marca e dos seus produtos.

 

O inbound marketing é apenas uma das ferramentas que podemos utilizar para alavancar o seu negócio. Cada negócio é diferente e tem as suas características.

Saberemos desenvolver ideias capazes de causar impacto nos resultados da empresa. Vamos colocá-las em prática, testar e analisar. Outrolado_

. . .

Leia também:

 

Marketing digital

 

Viviane Danin é jornalista atuando em mídias digitais e diretora na Ocean Digital (vempraocean.com.br), com experiência em gestão de projetos web e estratégias de conteúdo para negócios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *