Algumas palavras sobre tecnologia de displays

Vídeo mostra os aspectos básicos do ajuste de telas na TV e explica cada um deles  um deles – ajustes que qualquer pessoa pode fazer em casa.

 

Este é o tipo de assunto que se renova periodicamente, tal qual os componentes usados nas montagens de computador o fizeram ao longo das décadas.

Existia uma anedota na antiga revista Mad, que contava a estória de um dono de uma revenda de computadores já montados. Ele diz ao funcionário da logística: “Manda o computador por avião, porque senão quando ele chegar lá já estará obsoleto” …

Pois então, as telas dos televisores e os novos modelos de projetores de tiro curto fazem da escolha de TVs ou projetores algo às vezes até confuso, porque nem todo mundo se sente obrigado a entender e/ou seguir os avanços da tecnologia.

Mais importante ainda é a gente notar que a eletrônica dos televisores evoluiu de tal forma que a grande maioria das telas oferecidas à venda tem uma qualidade de reprodução suficiente para aqueles consumidores que não se detém em especificações de desempenho.

Longe agora estão os transtornos que nos afligiram durante décadas, nos obrigando a instalar antenas de boa qualidade nos telhados, e dependendo do local, com recepção cheia de percalços. Com a chegada das transmissões coloridas na década de 1970 os fabricantes de TV incluíam um controle inibidor de cor, para ser usado naquelas regiões onde a recepção de sinal era deficiente.

Anos se passaram onde o usuário com maior poder aquisitivo se aventurava na compra, instalação e manutenção de uma TV importada, principalmente os modelos de retroprojeção, que custaram a ser fabricados no Brasil, e quando o foram este tipo de TV já andava próxima da sua retirada do mercado.

O vídeo a seguir é relativamente curto e não cobre nada disso, e sim os aspectos básicos do ajuste de telas, desses que qualquer um pode fazer em casa, mas explicando o porque de cada um deles:

 

 

Se vai ser útil a quem assistir, só o tempo e a receptividade do assunto dirão. Como sempre, eu preferi narrar o assunto sem script, e por isso erros de qualquer tipo não foram corrigidos. Eu espero que quem assiste entenda que se trata de uma forma de tratar um assunto complexo com mais naturalidade. Outrolado_

 

. . . .

 

O uso de displays nos computadores pessoais

 

Por que as TVs de plasma não deram certo

 

 

A tecnologia de tela de TV com MicroLEDs

Paulo Roberto Elias é professor e pesquisador em ciências da saúde, Mestre em Ciência (M.Sc.) pelo Departamento de Bioquímica, do Instituto de Química da UFRJ, e Ph.D. em Bioquímica, pela Cardiff University, no Reino Unido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *