Nova atualização do decodificador Claro-Net

Apareceu na tela do decodificador Claro-Net 4K uma segunda atualização a ser feita manualmente pelo usuário final. Ela traz várias modificações em vídeo, como o recurso HDR, e áudio. Ainda não há suporte disponível para essas modificações.

 

Há cerca de uns dois anos eu fiz um apanhado geral do decodificador 4K da Net, agora Claro-Net.

Meses atrás, foi pedido ao usuário final para que fizesse uma atualização do software interno deste decodificador manualmente. O procedimento em si era simples:

1 – Desligar o decodificador e retirá-lo da tomada.

2 – Religar o decodificador apertando simultaneamente o botão de Ligar/Desligar do aparelho.

3 – Manter este botão pressionado até aparecer a indicação de Download no display, após o que deve-se liberar o botão e aguardar, já que o resto ocorre automaticamente.

Este mesmo procedimento foi solicitado no dia 20/01 próximo passado. Eu fui alertado sobre isso assim que liguei o decodificador. Mas, desta vez, as mudanças de interface e de recursos foram muito mais amplas!

Logo que a atualização terminou, a tela da TV entrou em modo HDR e o som default passou a ser Dolby, o que me provocou ir imediatamente para as configurações do decodificador verificar que mudanças eram essas. Aproveitei depois para fotografar algumas dessas telas, à guisa de ilustração do que estava acontecendo.

Primeiro, a tela de configuração mudou, com a inclusão de novos ajustes, entre eles, o do HDR, como seria de se esperar:

 

Entrando nos ajustes do HDR, as opções são as mostradas na imagem:

 

O ajuste padrão (default) estava em Habilitado, motivo pelo qual a TV havia entrado em modo HDR. Este ajuste está totalmente errado, porque imagens sem tratamento HDR tendem a distorcer cor e contraste. Então, neste caso o ajuste é “Pass Through”, porque somente os vídeos com HDR irão ser reproduzidos como tal.

Não há menção a Dolby Vision ou HLG HDR, provavelmente por problemas de licenciamento. Notem que antes dessa atualização ser feita, o conteúdo Netflix com Dolby Vision era transmitido com HDR 10.

No que tange ao áudio, o ajuste default “Dolby” também explicou porque a TV entrou neste modo de reprodução. Mas, vejam que a opção “Dolby Digital Plus” sumiu, e com isso a possibilidade de se transmitir Dolby Atmos foi, teoricamente, para o espaço!

 

Depois de alguns testes com o ajuste de volume, eu achei por bem mudar também para o ajuste “Passthrough”. Vários canais da grade normal e do serviço do Now transmitem som com Dolby Digital, e tal formato é agora mostrado nos programas da grade:

 

Uma coisa que me achou a atenção foi o ajuste automático do volume: para programas com Dolby o volume fica no máximo e sem variação de amplitude, e para os canais sem Dolby (no caso, PCM) ocorre a liberação do volume para ajuste em qualquer nível. Até então, o ajuste para saída PCM era o único que permitia ajustar o volume de ambos os sinais. Desta vez, ficou melhor, porque o volume pode ser fixado mais facilmente no mesmo nível e controlado pelo remoto da TV.

No meu caso especificamente, o ajuste do áudio em Passthrough tem a vantagem implícita que se amanhã ou depois formato de áudio for mudado na fonte de sinal, a TV se encarregará de se ajustar automaticamente para esta mudança.

Ausência de suporte

É uma situação triste (e notem que eu já vi este tipo de queixa vinda de pessoas conhecidas que moram em outros países), a gente tentar recorrer ao suporte e não conseguir ajuda.

Logo que eu vi a introdução do HDR e quis saber detalhes para a configuração do ajuste, eu liguei para a Claro-Net, e depois de umas trinta mensagens daquelas de encher o saco, fui atendido por uma moça para a qual eu descrevi o que eu queria saber sobre o ajuste do HDR.

Depois eu percebi que a moça não estava acompanhando o que eu estava dizendo, e aí eu parei de falar, quando então ela me fala que “não posso lhe dar ajuda, porque eu nem sei o que é HDR”.

Então, diante daquela declaração, eu perguntei se ela podia me colocar em contato com alguém da área técnica, e ela não só respondeu que não como sugeriu que eu pagasse o técnico da Net para ir na minha casa esclarecer tudo. Neste ponto, eu agradeci, me despedi e desliguei.

Sorte dela que eu passei mais de trinta anos no trabalho de magistério fazendo de tudo para encorajar os meus alunos a enfrentar todas as dificuldades no processo de aprendizado de alguma informação nova, e neste caso eu jamais iria mandar a tal moça se educar. Na realidade, eu perguntei se ela tinha um supervisor, ela disse que sim, e eu então sugeri que ela pedisse a ele para treina-la na nova plataforma dos decodificadores 4K, ou então colocar alguém que conhecesse ao assunto à disposição do usuário, porque ele ou ela pagam pelo serviço e eles da Claro têm a obrigação de atender a quem precisa!

Este assunto HDR já foi publicado por mim desde a época do Webinsider, e os textos estão lá para quem quiser se informar. Mas, eu sei, por experiência de vida, que normalmente a grande maioria das pessoas não gosta ou não quer se envolver com tecnologia.

Eu sempre parto do princípio que o aprendizado de qualquer assunto só será assimilado quando quem quer aprender tem o tempo necessário, e este tempo varia de indivíduo para indivíduo!

Por outro lado, eu acho um absurdo uma empresa do porte da Claro não ter ninguém para dar treinamento a essas pessoas que ficam na linha de frente com o consumidor e as suas prováveis dúvidas ou reclamações.

Além disso, lançar um novo produto sem apoio ao usuário ou sem avisar a ninguém também está, a meu ver, igualmente errado.

As mudanças atuais são positivas e correm atrás do prejuízo tecnológico, porque dezenas de aparelhos hoje em dia já fornecem sinal por streaming ou outro tipo de mídia com HDR, inclusive Dolby Vision.

Mas, embora esta possibilidade agora exista, caberá à Claro dizer em algum momento se os novos recursos estão lá para a evolução da plataforma ou se a gente vai ficar esperando sentado por alguma coisa diferente!  Outrolado_

 

……..

 

Decodificador 4k da Net Claro com Netflix

Paulo Roberto Elias é professor e pesquisador em ciências da saúde, Mestre em Ciência (M.Sc.) pelo Departamento de Bioquímica, do Instituto de Química da UFRJ, e Ph.D. em Bioquímica, pela Cardiff University, no Reino Unido.

4 comentários sobre “Nova atualização do decodificador Claro-Net

  1. Por mais que a Claro atualize, vai depender das produtoras liberarem conteúdo em qualidade melhor.

    Eu passei o ano passado como assinante da TV a Cabo da Claro e no final terminei cancelando.

    Um dos motivos de ter assinado era a esperança de assistir aos jogos Olímpicos em 4K (como vinha sendo o costume dos canais Globo nos últimos anos), mas durante todo esse período não teve nenhuma transmissão nessa tecnologia.

    Fora isso, eram muitos canais com uma qualidade muito ruim de imagem e áudio, as próprias premiações que eu gosto de acompanhar, nunca tinham áudio 5.1 aqui pro Brazil, imagem normalmente muito comprimida, etc…

    Terminou fazendo mais sentido pra mim cancelar o serviço da claro e assinar serviços de streaming eventualmente quando fosse ter algum evento específico que eu queira já que não faria tanta diferença em termos de qualidade e recursos.

    Os canais SporTV (a maioria dos canais Globo na verdade), que mesmo entregando o áudio no codec Dolby 5.1, nunca transmite nenhuma partida nesse formato, durante as olimpíadas tínhamos mais recursos na TV aberta que na fechada. HBO com imagem lavada, sem definição e áudio com muito compressão dinâmica. Esses são alguns exemplos de como a TV por assinatura está sucateada.

    Caso os streamings consigam alcançar a mesma qualidade do VOD no linear será um ganho muito grande pra pessoas que como eu buscam uma superioridade na qualidade das transmissões e ficam dependendo desses serviços meia boca.

    • Oi, Hélio,

      O seu comentário sintetizou muito bem a maioria das minhas observações sobre este decodificador. Eu aproveito para endossar esta coisa de tecnologia de fachada que você tão bem descreve, e a respeito da imagem desbotada dos canais HBO eu consegui amenizar este problema fazendo uma regulagem fina na tela da TV. Eu uso uma TV OLED, com a qual é possível fazer este tipo de ajuste, porém não é receita de bolo, cada usuário vai ter que procurar uma solução nos recursos de tela da sua TV e torcer para achar uma forma de contornar isso.

  2. Essa atualização também retirou, ao que parece, a possibilidade de o visor do decodificador iluminar menos quando está desligado. Ou é isso ou eu é que não consegui diminuir a luminosidade…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.